Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

Descortinando o amor
hqdefault.jpg
Descortina, tira o véu
O medo vai sumindo
Deixando alcançar o universo.
 
Medo que parecia impossível vencer, sair do caminho,
Desaparecer
Era um mar de espinhos
Sem se ver
 
Tão indefesa na redoma
A rosa triste vivia
Tão estranha, era a vida
Sem sentir a luz do dia
 
Palavras doces surgiram,
alimentando a rosa de energia
Vento e tempestades ,
já não mais temia
 
Nada afastou o amor
Da rosa com a simplicidade que tinha
A cada dia que passava
A leveza tomava conta da sua simples vidinha
 
O carinho e a certeza
Do amor que transcende o tempo
Traz à luz a alegria
Rompe a redoma de vidro
Reencontra  a coragem
A menininha ressurge e independente floresce
Sem perder a docilidade de ser uma frágil mulher
 
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 27/03/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426