Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

 
Amo-te

Amo-te tanto, que o tempo não passou
O coração dorido, o tempo não apagou
Amo-te com chagas no peito
Numa realidade distante de um leito
 
Amo-te de coração partido
Com a saudade e a dor do tempo perdido
Amo-te sem liberdade de viver
Com a dor de não ter você.
 
Amo-te como um cristal de estimação
Frágil e distante na solidão
Amo-te misteriosamente
Sem virtudes ou vícios
Amo-te como no início
 
Amar-te-ei até morrer
Amar-te-ei até o fim
Sem que eu tenha a ti
E você a mim.
 
Amo-te com prantos no rosto
Triste com a sua partida
Volte porque espero-te
Como é triste a dor da despedida.

Amar-te-ei eternamente
Minha alma gêmea querida
Com o coração dilacerado
Em meio aos campos orvalhados
Hei de amar-te a cada despedida
Por toda a minha vida.

 
26/06/2016
 
 
 
 
 
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 26/06/2016
Alterado em 26/06/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426