Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos


Tia, sim!
Um dia, ao adentrar na primeira escola, no espaço mais importante de minha vida, onde muitas histórias especiais vivi, ganhei de presente a alcunha de  tia. Isso mesmo, Tia Eliane! Parece ser parte integrante do meu nome. Não me vejo distante desse carinho tão lindo.
Um carinho que jamais será extraído de mim.
Esse “tia” desenvolveu em mim um enorme orgulho de ter sido professora de crianças tão especiais que, até hoje, esses jovens - uns já são pais e mães - ainda me acolhem com um lindo sorriso e me chamam de tia.
Antes, eu os recebia em meus braços e eles com os bracinhos indefesos, pequeninos me acolhiam.
Hoje, aqueles bracinhos, já crescidos, me enlaçam e me acolhem com tanto calor.
Os pais e os colegas de trabalho ainda mantém a mesma relação de amizade e carinho de outrora.
Gostem ou não os adversos, sempre serei a tia, mesmo que de maneira pejorativa alguns digam que professor não é parente para ser chamado de tio ou tia.
Os meus ex e eternos alunos, a maioria não tem grau de parentesco, mas certamente vivem dentro de mim como se fossem um pedaço meu.
Eliane Q. Auer
10/02/2016
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 10/02/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426