Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

469 anos de colonização
de São Mateus-ES

2Q==
 
O tempo vem passando para mim na frente dos olhos e vejo as ruínas sendo plantadas nos corações mateenses.
Não são ruínas existentes pelo desgaste do tempo, são ruínas de desgosto de desesperança que tem assolado famílias que esperavam por esse período festivo.
Esperança que vem assolando famílias  todos os anos, nesse período que representa um marco na nossa história, para mostrar  além de tudo o quanto crescemos.
Apresentarem   o artesanato da cidade, a cultura , o turismo e desenvolvimento do agronegócio e dele extraírem algum resultado positivo para a família, além de divulgar e acrescentar  na economia da cidade o que vem ocorrendo ao longo de todos esses anos.

Não estou aborrecida pela falta da festa da cidade porque deixarei de ouvir músicas sertanejas ou quaisquer estilos musicais.
Não é por causa da falta do odor dos animais que ficam expostos pelos seus ostentadores, muito menos pela poeira que cobre os nossos rostos ou da garoa fina que às vezes insiste em cair nesse período festivo anunciando a primavera.
Graças a Deus, ela independe de vontades políticas.
Não me indigno pelos meliantes que se preparavam para fazer seus furtos, afinal já faz parte do cotidiano sem limites, nem pelos jovens que imaginavam encontrar seus príncipes e princesas de época festiva.
Não sou tão velha, nem tão nova que não possa perceber rostos tristes pela falta de movimento no comércio, falta aquele desejo de comprar  uma roupa nova para se apresentarem nas festividades , vendedores que aguardavam suas comissões aumentarem,donos de lojas, salões de beleza uns querendo abastecer a despensa para recepcionar as pessoas ,pois ,com toda a certeza muitos visitantes e parentes para cá viriam, isto tudo colaborando para o aumento da receita e incentivando o turismo local .
E os calçados, será que ficarão nas prateleiras?
Esse chegou dando um chute no... abrindo uma lacuna e alavancando a queda da auto-estima  até mesmo daqueles que acreditavam nas palavras de que tudo seria inesquecível.
E está sendo!
Ficará na história como o ano em que nossa cidade quebrou uma tradição em comemorar mais um ano de sua colonização.
 
Comemoremos com o nosso Santo Padroeiro, São Mateus porque a festa da colonização só  estará na memória do povo mateense .
Parabéns São Mateus, com os pés descalços !

Eliane Auer 2013


Com apreciações de um turista  e escritor maranhense BCFerr*
 

 

 
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 19/09/2013
Alterado em 19/09/2013


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426