Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

 Tarde de inverno
lu1mu3.jpg

Era tarde de inverno
Os lábios balbuciavam palavras doces
Na tentativa de ouvir o retorno.
O sol se escondendo por trás da janela
Querendo visitar a lua amarela.
Vem, menino sorridente!
Oh, intimidade no olhar
E ainda “boboca”
Aos olhos cegos do amor.
Qual estrangeira fecunda a ilha
De vestes negras e guerrilha
Não pensei na prata que trazia
Lembrei-me do ouro do tolo
E na maresia
Assim ele permanece com sorriso extravagante
Um príncipe na pele morena
Pele de intenso desejo
Bocejos... Bocejos...
 
 
 
 
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 13/08/2013
Alterado em 13/08/2013


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426