Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

CAMBUCÁ,ARAÇÁ E DAISSA
high-angle-view-of-two-boys-and-a-girl-lying-down-~-b00325.jpg

E lá se vai Cambucá, correndo pelas ruas estreitas da cidade de Frutíferas, no bairro Porto.
Cambucá, menino travesso, de alma pura e cheio de sonhos, gosta de admirar as estrelas e sonhar com os peixes do riozinho que passa à frente de sua humilde casa.
Ao conversar com seu amigo, Araçá, menino meio mal humorado , digamos, azedinho (por isso o seu nome), juntos faziam planos para o futuro.
 Sempre nesses planos, eles acreditavam que a alegria deles estaria dentro daquele rio que eles vêem correndo à frente dos olhos.
Numa noite, Araçá sonhou que Cambucá o chamava para pescar.
Pegaram os apetrechos de pesca, colocaram seus coletes salva-vidas e subiram numa pequena embarcação, comumente chamada de bote.
Partiram em busca do que almejavam: o peixe mais procurado e cobiçado da redondeza, naquele rio.
Mas não se depararam com muitas alegrias na aventura, pois depararam com muita poluição e a prova estava na quantidade de aguapés que atrapalhavam a embarcação navegar. Encontraram muitas piranhas, peixe extremamente violento naquele rio.
De repente, alguém bateu à porta:
_Toc, toc, toc!
_Cambucá, você me acordou!
Araçá contou o seu sonho para o amigo e eles ficaram pensando...
Mais tarde, olhando as estrelas, meio que desligado do mundo, eis que surge uma luz imensa!Era uma amiga que se aproximava.
Sabe quem?
Sua amiga imaginária estelar, a Daissa !
Ao conversarem, ela deu algumas dicas de cidadania, explicou sobre fazer mutirões de limpeza dos rios, como não poluí-los, falou sobre amizade e logo ela teve uma idéia e decidiu ajudá-los.
Arrumaram os equipamentos e materiais de segurança, bússola, alimentação e água potável. Um verdadeiro kit de sobrevivência eles montaram caso algo desse errado, teriam como pedir ajuda.
Araçá, Cambucá e Daissa saíram em missão para restaurar a limpeza do rio que eles tanto admiravam.
Quando estavam bastante cansados, perceberam que algo estranho tocava no barco em que eles estavam.
Ficaram assustados, pois eram fortes as pancadas no barco.
De repente viram uma imensa nadadeira.
Sabem o que era?
Exatamente!
O peixe mais cobiçado, o tão sonhado peixe a ser pescado por Cambucá e Araçá.
Naquele momento, o sonho teria se transformado em realidade.
Pescaram, fotografaram e soltaram de volta na natureza!
O peixe mudaria a vida daqueles dois para sempre!
As ações de cidadania e proteção praticadas por eles foram reconhecidas em todo o país.
Eles conseguiram ganhar o prêmio de melhores sonhadores e realizadores do bem. E a amiga imaginária Daissa, voltou para as estrelas.

 

 
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 12/11/2011
Alterado em 12/11/2011


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426