Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

ZDP
AS IMPLICAÇÕES QUE O CONCEITO DE ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL TRAZ PARA A PRÁTICA EM PROFESSORES.


Este conceito traz uma série de implicações para a prática pedagógica, porque:
• o processo de constituição de conhecimento passa a ter uma importância vital e, portanto, deve ser considerado tão importante quanto o produto (avaliação final);

• o papel do professor muda radicalmente, a partir dessa concepção. Ele não é mais aquele professor que se coloca como centro do processo, que “ensina” para que os alunos passivamente aprendam; tampouco é aquele organizador de propostas de aprendizagem que os alunos deverão desenvolver sem que ele tenha que intervir. Ele é o agente mediador deste processo, propondo desafios aos seus alunos e ajudando-os a resolve-los, realizando com eles ou proporcionando atividades em grupo, em que aqueles que estiverem mais adiantados poderão cooperar com os demais. Com suas intervenções estará contribuindo para o fortalecimento de funções ainda não consolidadas, ou para a abertura de zonas de desenvolvimento proximal. Não podemos nos esquecer de que a aprendizagem é fundamental para o desenvolvimento;

• nesta perspectiva rompe-se com a falsa verdade de que o aluno deve, sozinho, descobrir suas respostas; de que a aprendizagem é resultante de uma atividade individual, basicamente interpessoal. Aquilo que o aluno realiza hoje com a ajuda dos demais, estará realizando sozinho amanhã;

• a aprendizagem escolar implica apropriação de conhecimentos, que exigem planejamento constante e reorganização contínua de experiências significativas para os alunos;


• a reorganização das experiências de aprendizagem considerar o quanto a elaboração o aluno ainda necessita, para chegar a produzir determinadas atividades, de forma independente. Desta forma o professor poderá avaliar, durante  o processo, não somente o nível das propostas que estão sendo feitas, mas, sobretudo, o nível de desenvolvimento real do aluno – revelando através da produção independente bem como seu nível de desenvolvimento proximal – onde ainda necessita de ajuda. Chega-se, assim, a um conhecimento muito maior da realidade do aluno, do “curso interno de seu desenvolvimento” (Vigotsky), tendo condições de prever o quanto de ajuda ainda necessita, e como se deve reorientar o planejamento para apoiar este aluno.
A obra de Vigotsky é comprovadamente rica e densa, que nos serve de reflexão, sobre os rumos da educação no século xx, onde a sua grande importância é a elaboração de um conjunto de fórmulas psicológicas que é exemplo o mecanismo de conversão do inter em intra psicológico.
Convenhamos que é difícil dar-lhe conta de todos os aspectos, que incluem, influência, ajuda e que até mesmo dificulta o aprendizado da criança. Com isso vemos a importância de apoderar-nos das contribuições e preocupações de outros pesquisadores, que possa nos auxiliar e compreender o complexo fenômeno educacional, sobretudo nos que diz respeito não só as questões ligadas a dimensão cognitiva; como também às questões ligadas a dimensão afetiva, como nos mostrou Wallon através de suas pesquisas, em que as crianças tem também corpo e emoções, e não apenas cabeça na sala de aula.


4 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


PAREDES, Eugênia Coelho. Org. Fascículo III. Psicologia da Aprendizagem.Cuiabá: Ed VFMT, 2003, 92 P. IL.

1. Psicologia  2. Vigotsky e Educação 3.Psicologia infantil 4.Psicanálise e Educação 5. Agressividade 6.Dificuldades de Aprendizagem 7. Educação e Psicologia

III- Maria Ignez Joffre Tanus, Maria V. Aquino, Daniela Barros Silva Freire de Andrade, Maria Augusta Rondas Speler, Solange Tomé Gonçalves Dias, Sumaya Persona de Carvalho e Maria Lúcia Cavalli Neder.

Universidade Federal do Espírito Santo. Biblioteca Central. Guia para normalização de Referências: NBR 6023.200/. Universidade Federal do Espírito Santo. Biblioteca Central. 2. ed. – Vitória: A biblioteca, 2002. 51 p.

Inclui bibliografia. Título Anterior: Guia para Normalização de Referências Bibliográficas: NBR 6023.  ISBN 85-87106-37-7. 1. Referências Bibliográficas. 1. Título.

Normalização e Apresentação de trabalhos científicos e a acadêmicos. Guias para alunos professores e pesquisadores da UFES/ Universidade Federal do Espírito  Santo, Biblioteca Central. – 6. ed. rev. 60p.: il e ampl. – Vitória: a Biblioteca, 2002

Vigotsky L.: A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes 1987

______.Psicologia e Pedagogia. Lisboa: Estampa, 1977

______.Linguagem, desenvolvimento e a aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1998.



Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 30/11/2010
Alterado em 30/11/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426