Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

O Nu


Os olhos vêem um corpo nu
Abstraído do dia-a-dia
Visto, sem ser sentido
Sem sentido, torna-se o corpo nu.

O sol nasce cobrindo o corpo e mudando a cor da pele
Pele que de alva recebe a cor da veste
Que o sol cobre tornando-a rubra
E aos olhos ainda permanece nu

Nu artístico, que os olhos despem
Além do que é visto
E num toque, num sonho, torna-se sensível

Sensível ao ato das mãos que o tocou
Mãos que tateiam ainda no imaginário
O belo corpo que a noite cobriu de orvalho.
21/01/2009
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 21/01/2010
Alterado em 23/12/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426