Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

O pé de amoras

Saíamos quando crianças
Para ir à casa de uma tia
Lá tinha um pé de amoras
Que a todos enlouquecia
Eram tantas, que não alcançávamos
Com a varinha tirar.
Os galhinhos se agitavam
E as mãos ficavam a segurar.
Eram amoras tão pretinhas
Que pareciam até pedacinhos de carvão.
A desculpa que encontrávamos para tirar as pequeninas
È que íamos ver a vovó só para pegar uma porção.
Vovó era uma velha ranzinza que dizia não gostar de mim
Segundo ela, eu era muito atrevida.
Mas, também ela nem me dava presentes!
Era só aos outros netos... Eu era criança...
Qual criança entenderia?
07/09/2009
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 07/09/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426