Eliane Auer

Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.

Textos

SABOR DE NÓS DOIS

É madrugada triste e vazia
a ausência que invade
marca o saber ,
de que o sabor é o que menos importa
se gosto de beterraba ou melancia
cítrico ou doce em demasia,
é o sabor mágico e fascinante das palavras
que salivando de desejo e prazeres
renasce a vontade de uma fêmea louca no cio...
de um macho voraz...
me ame com sabor, sem sabor...
me ame no rio, no vazio...
na rua...nua...
debaixo do teto dos amantes ardentes,
toda sua ,todo seu
todo eloquente...
No inverno oculto, no calor intenso de verão,
que não morra o fogo da paixão.
Incêndio do espelho da alma
da calma , da espera,
meu sabor, seu sabor...meu louco amor
que mistura prata e ouro, amante e diamante
poesia de tudo e de nada
poesia de madrugada...
com sabor ou sem sabor...
com uma mistura de dor
em delírios incessantes
te quero num luar constante.
O seu gosto não é o oposto do pensamento
uma chama ardente queima intensamente
nas entranhas
da minh'alma.
Suave como um banho de espumas leve e esgorregadio
o seu gosto é o oposto da dor e do desafio,
da incerteza se sentirei no vazio
o gosto do amor tardio.
Amor que surge maduro, amor que já foi vivido...
Amor que não é ressentido...
Amor que é merecido!
17/02/2009
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 17/02/2009
Alterado em 18/06/2011
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
elianeauer@uol.com.br- @escritoraelianeauer
http://mocabonita.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4239426