Eliane Auer
Só quem conhece a alma do poeta é que sabe onde moram suas emoções.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

 

mascaras+caem.jpg

 
EMBAIXO DO TAPETE
...dentro das gavetas

 
Hoje estou aqui pensando à respeito da mediocridade de muitos.
Não me abstenho em dizer que muitos acham mais fácil jogar a sujeira debaixo do tapete, do que exibí-la aos visitantes e pessoas da própria casa.
Quantos armários estão abarrotados  de bagulhos sem importância, quantos cofres guardam ou escondem joias preciosas  para que outros não vejam.
Quem não já escondeu debaixo do tapete um erro cometido por sí, um erro de um filho, um deslize do marido ou esposa?
Quem também não defende com unhas e dentes a própria história?
Quem não passa uma maquiagem para corrigir as imperfeições da face que muitas vezes nem necessita?
É natural do ser humano esconder-se atrás de falsas imagens que acreditam ser as melhores e mais verdadeiras.
Portanto penso que as pessoas preferem acreditar que a sujeira debaixo do tapete  é melhor ficar escondida do que exibir aos quatro ventos.
Se fizermos um exame de consciência e olharmos o  nosso histórico de vida, saberemos em quais gavetas estão guardadas as nossas sujeiras.
Quanto resolvemos descortinar, abrir e jogar fora o que tem dentro, seja através de terapias ou esbravejando, machucamos muitos, saímos feridos pela sinceridade  e somos julgados de maneira impiedosa.
A  face que julga é a mesma que guarda na gaveta ou debaixo do tapete, as sujeiras mais inescrupulosas e as verdades sem qualquer maquiagem.
Eliane Auer (Moça Bonita)
Enviado por Eliane Auer (Moça Bonita) em 03/10/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários